quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Prefácio Iniciação ao Yoga


Técnicas, técnicas e mais técnicas. Cursos, vivências e retiros. Marcas, registros e estilos. Yoga disto, yoga daquilo, que se escreve deste ou daquele jeito. Isto é yoga, aquilo não é yoga. O Prof. Hermógenes explica, neste trecho de um prefácio, o que deve ser visto e buscado além da confusão. Mesmo os muitos que o adoram, ainda se perdem, sem entender, sua mensagem tão clara, e se perdem na diversidade do mundo. Como ele mesmo nos diz, busquemos: intimidade com o Supremo.


O objetivo principal deste trabalho é mostrar o que o yoga sempre foi, é e nunca deixará de ser. Não segundo “minha” opinião, não como “eu” o vejo, mas como as escrituras milenares explicam e definem. Isto é importante para resgatar o yoga de tantos retoques e maquiagens que vêm sendo produzidos por aventureirismo descompromissado ou por motivos menso dignos. Muita gente tem feito ginástica na convicção de estar praticando yoga. SE você encher um caneco com água da praia não vai acreditar que o mar agora seja todo seu. Pois é isto o que lamentavelmente está acontecendo.
A meta final do yoga é ciclópica. É como beber todo o mar. Libertar você de toda aflição, de qualquer forma de sofrimento e limitação, é a meta.
Como?!
Por ajudá-lo a tornar-se íntimo (um só) com o Ser Supremo, Deus. Yoga é precisamente isto. “Mas deve ser quase impossível”, poderá você pensar. É dificílimo. Reclama um investimento radical de existência. No entanto vale a pena e é possível...
Pode lhe causar surpresa encontrar um livro sobre Yoga numerosas citações precisas e oportunas do Evangelho de Jesus. Possivelmente você questionará: Jesus foi um yogui?! Foi, não. Eternamente é. Leia o livro. Reflita. Conclua por si mesmo.
A verdadeira religiosidade tem uma grandiosa meta, que está sugerida na etimologia da palavra religião. Religião significa re-ligação da alma com sua Infinita e Eterna Essência, Deus. Yoga significa rigorosamente o mesmo. Vale a pena meditar sobre isto. E você, se já não sabe, virá a entender – é para re-unir-se a Deus, e não por outra razão nem para outro uso, que dispõe desta existência.

Prefácio do livro Iniciação ao Yoga

Nenhum comentário:

Postar um comentário